Informativo 05/2016



Chuveiros Automáticos

    “O sistema de chuveiros automáticos é um sistema fixo de combate a incêndio e caracteriza-se por entrar em operação automaticamente, quando ativado por um foco de incêndio, liberando água em uma densidade adequada ao risco do local que visa proteger e de forma rápida para extingui-lo ou controlá-lo em seu estágio inicial.

    A sua eficácia é reconhecida em função do menor tempo decorrido entre a detecção e o combate ao incêndio, pois essa característica pode evitar a propagação do incêndio para o restante da edificação.

    Outra característica importante desse sistema é o acionamento do alarme simultaneamente com o início de operação, o que propicia a fuga dos usuários com segurança.

    O princípio de operação desse sistema consiste em confinar o fogo na área de aplicação controlando ou extinguindo o foco do incêndio em seu estágio inicial, por meio de descarga automática de água.

    Assim, em uma grande área sem compartimentação como, por exemplo, em um galpão industrial, o sistema de chuveiros automáticos opera como compartimentação agindo na área restrita ao foco do incêndio, evitando a propagação do fogo e reduzindo os danos.

    Já o princípio de funcionamento do chuveiro automático é atuar como alarme, detectar e combater o fogo.

    Histórico

   O sistema de chuveiros automáticos teve o início de seu desenvolvimento no século XIX, embora o aperfeiçoamento de vários tipos de sistemas e de chuveiros tenha ocorrido no século XX.

    Segundo BRYAN (1976), o primeiro sistema de chuveiros automáticos foi criado na Inglaterra, em 1806, por John Carey.

    Esse sistema consistia de tubos perfurados conectados a um sistema de suprimento de água com um reservatório elevado.

    A coluna de distribuição de água continha uma válvula fechada conectada a um sistema de cordas e de pesos, que era arranjado de tal forma que as cordas ao serem queimadas abriam uma válvula por operação de um contrapeso liberando água para a extinção do fogo.

    Em 1812, Sir William Congreve melhorou o sistema de John Carey substituindo as cordas por um cimento fundível, projetado para entrar em operação a 44 Cº.

    Ao patentear o seu sistema, Congreve incluiu uma ligação que é considerada a primeira válvula de alarme, que operava pela queda de um peso.

    O Major Stewart Marcison, em 1864, projetou um chuveiro automático, considerado como o protótipo, pois apresentava elemento termo sensível, que se fundia sob a ação do calor e permitia a descarga da água sob pressão em todas as direções, acionando somente aqueles atingidos pela ação do calor.

Mais tarde, Henry Parmelee produziu um chuveiro automático que foi o primeiro a ser aceito comercialmente e também reconhecido pelas seguradoras (GONÇALVES e FEITOSA (1998)).

    Ainda, segundo os mesmos autores, em 1922 foi lançado pela Grinnell um chuveiro com ampola de vidro com o objetivo de eliminar os problemas de corrosão que ocorria nos modelos de metal.

    A partir daí, houve uma série de pesquisas contínuas no sentido de aperfeiçoar e, consequentemente, melhorar a eficiência desse sistema, que é atualmente considerado o mais importante sistema de proteção contra incêndio.

    Conforme o API GROUP INC. (s.d), a evolução histórica do sistema de chuveiros automáticos pode ser descrita da seguinte forma:

    • 1806 – John Carey projeta um sistema de tubos perfurados, atuadores e cordas em chamas.

    • 1812 – Cel. William Congreve projeta tubos perfurados com válvulas.

    • 1875 – Parmelee inventa o primeiro chuveiro automático moderno.

    • 1882 – Grinnell inventa um sistema de chuveiro automático melhorado que com capacidade de suportar pressões maiores e de distribuir a água mais uniformemente.

    • 1885 – John R. Freeman realiza testes extensivos em sistemas de chuveiros automáticos.

    • 1895 – Reunião dos representantes de seguradoras em Nova York para estabelecer normas de proteção contra incêndio.

    • 1896 – a NFPA ( National Fire Protection Association) é oficialmente instituída e publica normas para sistemas de proteção contra incêndio.

    Classificação dos Sistemas

    Conforme a NBR 10897 (1990), os sistemas de chuveiros automáticos classificam-se em: sistema de tubo molhado, sistema de tubo seco, sistema de ação prévia, sistema dilúvio e sistema combinado de tubo seco e ação prévia.”

(A Segurança contra incêndio no Brasil / Projeto Editora, 2008, pp. 239 a 240).


Copyright © 2019.

MARISPRIN - Tecnologia Contra Incêndio

Av. Fernando Botelho Vilela nº 524 - Bairro Nova Marilia - Marília/SP

Telefone Fixo: (14) 3316.3847

Celulares: (14) 99797.7755 / 99749.7656

e-mail: avcb.mar@gmail.com